Patê de pimentões - R$ 6,79

21 de fevereiro de 2019
Gostaria de começar esse post com uma salva de palmas para a Vossa Majestade Semente de Girassol. Ela merece.

Jamais imaginei que as bonitonas existissem até virar uma vegetariana desempregada. Na verdade, essa história começou com a castanha de caju. 

Num belo dia, quando ainda nem era vegana e comia doces cheios de creme de leite, vi uma receita de torta de morango com castanha de caju de base no canal GNT. Achei a ideia maravilhosa e resolvi fazer pra receber uns amigos em casa. 

Bem ingênua, saí pra comprar a quantidade de castanha de caju recomendada pra receita: 2 xícaras. Nem vi o preço escrito no pote da loja e quase tive um infarto quando a moça colou a etiqueta no saquinho. Deu uns R$ 40. E ainda faltava comprar 2 bandejas de morango! Ou seja, eu ia gastar mais do que o preço de uma sobremesa no restaurante do Alex Atala! Pedi desculpas pra atendente, devolvi as castanhas e fui embora traumatizada. 

Foi aí que comecei a repetir o mantra que persiste até hoje: veganismo é pra gente rica. Sim, já fui dessas. Mas eu devia ter pesquisado melhor e buscado outras referências de comida sem ingredientes de origem animal. 

Nada contra a castanha de caju mesmo! Eu amo demais. Comeria todos os dias, tomaria até banho com ela. O problema é só o preço mesmo. 

Se pudesse, queria voltar no tempo pra ter começado a usar as sementes de girassol mais cedo! Porque, sim, elas são um ótimo substituto pra castanhas e amêndoas em receitas (principalmente salgadas), custam em torno de R$ 15 o quilo e são fáceis de encontrar por aí. Em Floripa já se vende até em supermercados.

De quebra, possuem um batalhão de nutrientes, tipo cálcio, ferro, magnésio, zingo, selênio, manganês (quase a natureza inteira), mais diversas vitaminas do complexo B. Como se já não bastasse, são ricas em proteínas, como o pessoal da maromba gosta!

Então não precisa de castanha de caju sempre! Muito menos de laticínios!!! Com o leite da semente de girassol podemos fazer molho branco pra massas e lasanhas, ricota pra comer com pão ou rechear quibes. As sementes também viram um excelente petisco quando tostadas na frigideira (com sal e um tiquinho de pimenta), além de servirem de base pra pastinhas, cremes e patês. 

As sementes de girassol rendem uma pastinha bafônica de feijão branco, de tomate seco, azeitonas, cebola caramelizada, abobrinha e hortelã. Pode inventar sem filtro! Só não esquece: sempre sem casca, tá? 

Dicas: se quiser uma textura mais lisinha e uniforme em qualquer receita que levar sementes de girassol, basta deixá-las de molho por 4 horas pelo menos. Esse processo também ajuda a facilitar a digestão delas e absorver melhor os nutrientes no teu corpinho.

E tem mais: as sementes de girassol virariam o que? Girassol, a flor. Flor que inspira alegria, renovação, criatividade, otimismo. Enfim, uma planta sem defeitos! Até emocionei aqui! :)

Partiu garantir um lugarzinho pra essa deusa na despensa?

A receita de hoje surgiu num contexto de necessidade. Mudança de casa, armário meio vazio, cansaço, preguiça de cozinhar. Também fui influenciada pela época: é hora de comer pimentão antes que venha o frio e ele seja atochado de agrotóxico, como costuma ser. 

Ah! O preço não saiu dos mais baixos porque pimentão amarelo e vermelho são mais caros, né? Mas não rola de fazer sem eles. Só o verde é muito sem graça. Tenta comprar pelo menos um dos dois, tá?

Deixei uns pimentões pra decorar por cima, mas não precisa. Também joguei um azeitinho a mais!

Ingredientes
⠂1 pimentão verde
⠂1 pimentão amarelo
⠂1 pimentão vermelho
⠂1 cebola
⠂1 limão
⠂2 colheres de sopa de uva passa
⠂4 colheres de sopa de azeite
⠂1 xícara de sementes de girassol sem casca de molho por 4 horas
⠂sal a gosto
⠂pimenta do reino a gosto
⠂água o suficiente pra não queimar o seu liquidificador

Observação: você não vai perceber a uva passa na receita! Eu garanto. Mas é importante pra tirar a acidez dos pimentões e dar um gostinho de agridoce beeeeem leve. 

Como eu fiz
Enquanto o forno pré-aquecia, cortei os pimentões em tirinhas e a cebola em meia lua. Joguei tudo numa assadeira mais as uvas passas, sal, pimenta e o azeite. Assei em forno baixo por 35 minutos (ou até os pimentões estarem bem murchinhos). Depois só escorri as sementes de girassol e bati tudo liquidificador. Nessa hora entra o limão e um tiquinho de água. Quanto menos água melhor. Eu fui batendo, parando, mexendo e acrescentando um tiquinho de água. Mas você pode escolher a textura que quiser. Eu quis mais firme, não tão pastosa, sabe? 

Os bonitões devem sair assim do forno, bem tostadinhos. 

Aproveita porque esse é o melhor patê que esse blog já viu. Sério! Agora prometo começar os testes com semente de girassol em receitas doces.

5 comentários:

  1. Respostas
    1. Oi, acho que a textura pode ficar estranha depois, viu? Mas duvido que vai sobrar hahahaha

      Excluir
  2. Morri de vontade de comer essa maravilha no segundo seguinte que foi postada hehehe Dei uma escorregada na receita e coloquei o limão durante o cozimento, mas ficou bom também. Agora só me tira uma duvida: quanto tempo essa maravilha dura na geladeira?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comida 100% natural não tem uma validade exata! Comigo costuma durar cerca de 7 dias na geladeira.

      Excluir