Dadinhos de tofu - R$ 8,13

9 de outubro de 2018
Eu gosto muito de comida com história, mas a receita de hoje foi apenas uma insanidade do acaso. Não passa de uma grande maluquice da minha parte. Pode soar arrogante, mas nunca vi nada parecido por aí. 

O contexto é esse. Eu não sabia que existia tofu antes de virar vegetariana, há seis anos. O único representante da soja na minha vida era o molho shoyu. Mas aí comecei a conhecer alguns restaurantes que vendem comida sem bicho, espiar blogs, livros e descobri esse troço estranho, que não tem gosto de nada e cuja textura lembra uma esponja. 

Comecei a comprar pra fazer em casa porque descobri que não ter gosto de nada é uma vantagem: dá pra colocar o gosto que quiser. Pode parecer loucura, mas dá pra fazer molho pra lasanha ou cobertura de bolo com ele. Pois bem. Deixei o queijo de soja entrar na minha vida, com certa desconfiança, confesso, e ele acabou me conquistando. 

Costumo fazer muitas pastinhas e patês a base de tofu. Às vezes rola uma dupla com a azeitona, às vezes com coentro ou cebola. Pras fases mais abastadas, também faço com tomate seco, o melhor de todos. 

Já tentei fazer mousse a base de tofu, com morango ou chocolate, mas acho que fica bem desagradável. Nunca acertei. Na verdade, preciso confessar minha tendência a preferir tofu em receitas salgadas, principalmente acompanhado de cebolinha e shoyu. 

Não adianta. Uma cultura alimentar não se consolida à toa. Ela sempre faz algum sentido. E se os japoneses costumam comer com cebolinha e shoyu, é porque essa combinação é inegavelmente irresistível. Foi pensada por gerações. 

Lúcio tem a sua forma de estimação de preparar tofu. E já sendo bem puxa saco, fica incrível. Ele corta o queijo de soja em fatias retangulares, tempera com shoyu e limão, empana com gergelim e põe no forno. Se você nunca provou tofu ou não tem experiências felizes com ele, é porque nunca provou essa receita. Sério! 

E a receita de hoje é mais uma estratégia pra te convencer a dar uma chance pra essa belezinha. A galera da maromba, então, é paixão certa! Porque o tofu é basicamente proteína, com a vantagem de ter pouquíssima gordura. 

A história dos dadinhos de tofu é curta. Começou nesse fim de semana, na verdade. Eu costumo fazer tofu em casa mesmo, porque fica anos luz mais barato. No supermercado não dá pra comprar. É um assalto. Prefira sempre as feiras de rua ou as lojas de produtos japoneses. Mas passei na casa da minha mãe e ela tinha comprado uma peça de 1 quilo pra mim. Neide Aparecida encomenda tofu de uma moça japonesa que vende numa loja perto da casa dela. Custa R$ 15 o quilo. Por mais que meus pais e minha irmã não sejam vegetarianos, eles costumam gostar muito de uma pastinha de tofu que Dona Neide sempre faz. 

Já na minha casa, comecei a fazer planos pro blocão de queijo de soja. Já tô enjoada de patê e não queria nada doce. Pensei em fazer a receita do Lucio, mas bateu a loucura de improvar algo novo. Era sábado, um dia antes das eleições, e eu não conseguia fazer nada além de ficar 24h falando com deus e o mundo no whatsaap, querendo cortar os pulsos. Nessas horas, cozinhar ajuda a desconectar e sair dessa explosão de ansiedade.

E foi aí que resolvi fritar tofu no azeite de dendê. E saí me achando a rainha do balacobaco porque esse tipo de coisa só é possível no Brasil. É só aqui que China, país que criou o tofu, e África, continente de onde vem o dendezeiro, poderiam se encontrar. Pra melhorar esse acordo internacional, resolvi acionar a diplomática farinha de mandioca e lembrar que estamos em terras tupiniquins. 

A porção deveria ter o dobro do tamanho, mas eu não me aguentei e fui comendo enquanto fritava!

E é isso. Apenas cortei o tofu em cubos, deixei marinando com temperos, empanei na farinha de mandioca e fritei no dendê. A porção da foto tá minúscula, mas é uma ilusão. Eu comi mais da metade do que tá aí durante o preparo. É sério. Ficou uma delícia tão grande, mas tão grande que eu comeria todos os dias até enjoar. 

Pensei em chamar a receita de acarajé chinês ou algo do tipo, mas achei que seria muita forçação de barra, né? hahaha 

A receita ficou mais cara porque foi feita com tofu comprado. Se você fizer em casa, é claro que vai sair beeeem mais em conta. O passo a passo de como fazer tofuaqui

E uma dica: pra deixar ele beeeem firme a ponto de conseguir cortar em cubos, como fiz nessa receita, precisa fazer uma espécie de prensa. Assim que terminar o preparo do tofu caseiro, coloca num pote e, por cima, algum objeto ou outro pote com peso (pode ser água). Esse objeto precisa pegar toda a superfície do tofu, pra ele ficar bem uniforme. Deixa ele ali em cima de um dia pro outro. E depois tira e corre pro abraço. 

Vamos à receita.

Ingredientes 
⠂500g de tofu firme
⠂2 dentes de alho ralados
⠂1 limão
⠂1 colher de chá de cominho em pó
⠂1 pimenta dedo de moça ou outra de sua preferência bem picadinha
⠂1/2 xícara de farinha de mandioca
⠂8 colheres de sopa de azeite de dendê
⠂sal a gosto ou molho shoyu

Observação: aproveita pra usar teus temperos preferidos aqui. Pode brincar à vontade. Eu colocaria coentro fresco picado, mas não tinha. Também pensei em marinar o tofu com um pouquinho de leite de coco. Imagina o sonho. 


Você nunca mais vai dizer que odeia tofu!

Como eu fiz
Cortei o tofuzão em cubinhos. Não muito pequenos pra não desmanchar. Num pote raso, coloquei os pedaços de tofu, os dois dentes de alho ralados, o limão espremido, o cominho, a pimenta e sal. Espalhei esses temperos nos pedacinhos de tofu com as mãos. Fechei o pote e coloquei na geladeira por 1 hora. Quanto mais tempo ficar, mais sabor vai pegar. Se puder, deixe da noite pro dia. Depois, espalhei a farinha de mandioca num prato fundo e joguei uma pitada de sal. Mergulhei cada cubinho na farinha de mandioca enquanto esquentava o azeite de dendê numa frigideira funda. Não fritei por imersão, viu? Porque dendê é caro aqui em Floripa. Basicamente só grelhei os cubinhos com uma dose generosa de óleo. Fica a teu critério, viu? Fui colocando os cubos pra fritar e virando pra dourar em todos os lados. É coisa bem rápida. Em 5 minutos já tava pronto e crocante. 

Aí é só servir e ser feliz. Comi com arroz de coco (receita no Instagram), feijão e uns matos.

2 comentários:

  1. Será que posso usar outro óleo ou assar? O Dendê não me cai bem

    ResponderExcluir
  2. Oi, Lucio. Eu acho que o dendê é a chave da receita. É claro que você pode usar outro óleo ou assar. Se o dendê não te faz bem, recomendo você passar óleo de gergelim torrado nos dadinhos e assar no forno! Ou fazer essa versão com gergelim empanado. Que citei na receita também!

    Mas olhe. Às vezes basta comer dendê sem exagero e depois tomar um chá de erva doce. hehe

    Um abraço.

    ResponderExcluir