Leite condensado caseiro vegano

3 de janeiro de 2018
Parecia infinito, mas 2017 acabou. A coisa não foi tão ruim pra mim. Na verdade foi um ano ótimo na minha vida, mas como não fecho os olhos pro mundo, acho que o saldo não é muito positivo pra humanidade. 

2017 foi marcado pelo retrocesso. Nos direitos humanos e nos direitos sociais, principalmente. Tão querendo que a gente trabalhe até os 90 anos, sem carteira assinada. Sem falar na quantidade de gente desfilando ódio e preconceitos nas ruas e redes sociais. Se fosse fazer uma lista de atrocidades cometidas contra mulheres, negros, populações indígenas e LGBTs a lista teria milhões de páginas. Mas, como o assunto aqui é alimentação, vou focar nesse tema. 

Em 2017, avançou no Senado o projeto de lei que quer tirar o símbolo de transgênico dos rótulos dos alimentos que compramos no supermercado. Sabe aquele triângulo com um T maiúsculo que aparece na embalagem de óleo de soja, salgadinhos, e tudo o que tem transgênicos na composição? Então, uma galera do congresso quer chamar a gente de trouxa, mais uma vez, e não quer mais que esse símbolo seja obrigatório nos produtos!

Se isso realmente acontecer, vai ser difícil saber o que estamos comendo! Esse projeto é a PLC 34/2015 e o autor é o senador Cidinho Santos, do PR do Mato Grosso. Em setembro, foi aprovado numa comissão do Senado e agora temos mais duas votações em comissões pela frente. 

Outra notícia importante em 2017 foi o lançamento do Atlas Geográfico do Uso de Agrotóxicos no Brasil, da professora Larissa Bombardi da USP. É o maior estudo já feito sobre o tema no país. Os dados que ela cita são desesperadores. Um dos que mais me chocou foi sobre o feijão! O feijão brasileiro pode ter 400 vezes mais agrotóxico do que um feijão da Europa. Lá, eles são bem mais rigorosos com esses venenos. Se você quiser ler mais sobre o assunto, clica aqui

Apesar desse mar de agrotóxicos em que vivemos, a boa notícia é que o preços dos alimentos orgânicos tem caído cada vez mais e as feiras de alimentos cultivados pela agricultura familiar, sem venenos, estão crescendo horrores no Brasil. Se você está em busca de uma feira orgânica perto da sua casa, clica aqui ó. Esse link é um mapa do Brasil todo, com os endereços e horários de funcionamento de todas as feiras! Não perde!!! Um abacaxi orgânico, em geral, é caríssimo. Mas um pé de alface não! Não custa pesquisar. Eu consigo comprar folhas verdes, ervas, abobrinha, berinjela, tudo orgânico. Frutas ainda seguem sendo muito caras pra meu bolso. 

Enfim! Já tá bom de retrospectiva. Vamos partir pra receita de hoje. Ela não foi planejada. Dona Neide passou uns dias aqui comigo, trouxe estoque de comida pra 30 guerras mundiais, e produtos caríssimos que só ela é capaz de comprar, como amêndoas. Deixou umas aqui em casa e lá fui eu fazer leite pra tomar com café. Mas fui pra casa de umas amigas e esqueci o bonitão aqui! 

Os leites vegetais não duram mais do que dois ou três dias. Como não conseguiria tomar um litro de leite em um dia, resolvi fazer alguma coisa doce com ele. Lembrei que já tinha feito leite condensado de côco uma vez e achei maravilhoso. Resolvi testar com as amêndoas e foi um sucesso!

Não coloquei preço nessa receita porque não faço ideia de quantos milhões de reais minha mãe pagou nesse minúsculo saco de amêndoas que ela trouxe. Poderia pesquisar, mas achei melhor deixar sem preço porque é uma receita base, você pode usar com qualquer leite vegetal que tiver em casa, o mais barato, mais saboroso. Fica a teu critério. Minha dica é: faça o de côco! É muito saboroso! Se o côco seco tiver caro na tua cidade, faz de arroz, aveia, inhame, qualquer castanha ou amendoim. Só não recomendo fazer de gergelim ou semente de girassol, pois os dois não combinam com receitas doces.

Depois de fazer o leite condensado, você pode usar como quiser. Pode fazer brigadeiro, rechear bolo, comer com frutas. Só não vai sair comendo loucamente porque é super doce e nada com açúcar é saudável! Moderação, por favor! De qualquer forma, é melhor que o leite moça do mercado, porque não tem conservantes nem as propriedades inflamatórias que o leite da vaca tem. 

A receita rende cerca de 375 gramas de leite condensado. E dura mais ou menos 3 semanas fora da geladeira. Não guarda na geladeira porque vai ficar muito duro!

Ele fica com cor de doce de leite, mas não tem aquele gostinho de queimado.

Para o leite vegetal
1 xícara do grão, semente ou castanha da sua preferência
3 xícaras de água filtrada

Modo de preparo
Deixa os grãos de molho por 8 horas. Joga essa água fora, e bate no liquidificador com 3 xícaras de água nova. Coa com uma peneira e tá pronto!

Para o leite condensado
1 litro de leite vegetal
300 gramas de açúcar demerara (Não pode colocar menos açúcar! Não vai dar o ponto certo)

Modo de preparo
Mistura tudo numa panela e mexe, sem parar, por 40 minutos. Eu sei que é chato. Fiquei ouvindo música e lendo fofoca no telefone enquanto fazia isso. Passou rápido. O ponto exato do leite condensado eu mostrei lá no perfil do Instagram. Espia: @comidasaudavelpratodos. Mas é basicamente o ponto que atinge a textura do leite condensado tradicional. 

Um comentário: