Tortinhas de maçã - R$ 4,89

22 de dezembro de 2017
Não sou o que se pode chamar de fã do Natal. Me incomoda o fato de as pessoas falarem o nome de Jesus e em seguida desfilarem frases preconceituosas. Também me incomoda aquela mesa cheia de bicho morto com cabeça e tudo. Também me incomoda esse negócio de concurso do parente mais abastado, que comprou o presente mais caro pro filho. Também me incomoda todo mundo comentando que fulana e sicrana engordaram. Mas gosto da parte boa. Da galera se reunir, se abraçar, comer até passar mal. 

Qualquer evento que envolva o verbo comer me anima! Das datas festivas, minha preferência é pela festa junina, porque NADA no mundo é melhor do que a combinação de quentão + milho + paçoca + cocada. Mas, no natal, eu não costumo comer muito. 

Minha primeira festa natalina sem comer carne, faz uns cinco anos, obviamente foi difícil. Eu me dei conta, sentada na mesa com todo mundo, que eu não poderia comer 99% dos pratos. Não sei qual é o motivo que faz as pessoas colocarem presunto ATÉ na salada. Tá escrito isso na Bíblia? Mas ok. Eu não faço escândalo na mesa e aceito bem as tradições e a cultura a que todos estamos submetidos. 

Nesse primeiro natal sem carne, cheguei a comentar com a minha mãe que só teria farofa e torta de palmito pra eu comer. Ela, maravilhosa e educadora como sempre, respondeu que era só eu levantar a minha bunda da cadeira e ir cozinhar outra coisa, em vez de reclamar. E aí está uma verdade. É muita folga a gente reclamar das coisas e não fazer nada. O mesmo vale pra qualquer um que tenha qualquer restrição alimentar ou vontades aleatórias. As pessoas não estão no mundo para te servir! Programa-se, peça um espaço pra avó na cozinha, compre os ingredientes, cozinhe e lave a louça depois.

No outro Natal, levei um tabule de quinoa (olha a riqueza da pessoa na época) e uns enroladinhos de berinjela. Todo mundo fez cara de nojo. E meus pais comeram junto comigo para não ficar chato. Então hoje eu faço isso. Se tô com vontade, inspiração e tempo, levo umas opções vegetarianas pra ceia. Senão, me contento em me afundar em farofa e torta de palmito. Afinal, eu comeria até pedra depois de litros de cerveja. 

Feita toda a introdução natalina, vamos à receita de hoje, que serve como uma ideia de sobremesa pra ceia. Pela foto, fica escancarada a minha falta de habilidade para produções manuais. Eu sempre quase reprovei nas aulas de educação artística, desenho e coisas relacionadas. Não tenho paciência nenhuma. Hoje eu até estava animada pra caprichar nas tortinhas de maçã, mas estou com trabalho pra entregar, mala pra arrumar, mercado pra fazer e ainda receberei visitas de noite! Então eu peço perdão pela ausência de delicadeza das minhas tortinhas, mas o sabor compensa, garanto!

A receita rende oito tortinhas, mas quando fui tirar a foto eu já tinha comido 3! hahaha

A receita rende oito mini tortinhas e me custou R$ 4,89. É importante lembrar que eu moro no estado que é o maior produtor de maçã do Brasil. Pago R$ 2,49 no quilo. Se você mora em Manaus, vai pagar mil vezes mais no preço da maçã e a receita vai ficar mais cara. Pode substituir por outra fruta, como peras ou pêssegos. Não pode ser por uma fruta que solte muita água, como abacaxi. 

Não estão super bonitinhas, mas o sabor é um sucesso! Pode confiar

Ingredientes da massa
1 xícara de abóbora cabotiá cozida e amassada com um garfo
2 xícaras de farinha de aveia
3 colheres de melado de cana
1/4 de xícara de óleo de girassol
1 pitada de sal

Como fazer a massa
Misturar tudo numa tigela.

Prazer, essa é a massa!

Ingredientes do recheio
2 maçãs grandes cortadas em cubinhos com casca e tudo
1/4 de xícara de açúcar mascavo ou rapadura ralada (usei rapadura)
1 colher de sopa de suco de limão
1 pitada de sal
canela a gosto
1 colher de café de amido de milho (maizena) misturados a 4 colheres de sopa de água.

Como fazer o recheio
Numa panela, derreter o açúcar ou a rapadura. Em seguida, acrescentar os cubinhos de maçã. Quando eles já tiverem mais macios e quase transparentes, acrescentar o suco de limão, a canela, a pitada de sal e a mistura de amido de milho com água. Se não colocar o amido de milho, o recheio não vai ficar grudadinho e cremoso. Vai soltar muita água na hora de assar. 

O recheio tem que ficar bem cremoso!

Como montar tudo

Colocar o equivalente de 1 colher de sopa de massa em cada forminha. Preencher todo o fundo das forminhas e as laterais com a massa. Colocar o recheio por cima e fazer umas tirinhas bem fininhas de massa pra colocar por cima do recheio. Polvilhar canela por cima. Assar em forno já pre-aquecido a 200 graus por 40 minutos ou até a massa estar bem sequinha e crocante. 


💚💚Pra encerrar: neste natal, não fale mal de ninguém! Não desfile ódio. Não pense em comprar os presentes mais caros pros seus filhos e sobrinhos. Abrace as pessoas, seja gentil e coma mais vegetais! E MANDE OS HOMENS LAVAREM A LOUÇA!

Um comentário:

  1. Nossa! Que delícia! Finalmente deixei de ser apenas fã do instagram e vou começar a participar aqui. Massa de abóbora??? Já quero testar pra ontem!!! Tenho tudo aqui! Obrigada pela inspiração, bjs!

    ResponderExcluir