Docinhos por menos de R$ 5

21 de novembro de 2017
Eles ficam tão bonitinhos, né?

Não me culpo quando como um brigadeiro, um bombom de cupuaçu da vó do Renato, o mousse da Marcela Maria, um pedaço do pudim de leite do Tio Ni. Essa relação de comer e se torturar me preocupa muito! Vamos parar com isso, por favor? Acho que se temos uma alimentação equilibrada, combinada com a prática regular de atividade física, dois brigadeiros não são o fim do mundo. Aliás, comida também é prazer, história, cultura e sociabilidade. 


Mas precisamos ter uma coisa muito clara na cabeça quando o assunto é açúcar: a palavra MODERAÇÃO sempre vai vir junto. Até em relação às frutas. Nem uma banana você pode comer como se não houvesse amanhã, muito menos algo que tenha açúcar, mesmo nas versões menos refinadas como mascavo e melado. E não vamos falar de xylitol porque isso não tem nome de comida e custa toda a minha poupança.

Eu já contei nesse post que sou uma viciada em doces em eterno tratamento. Mas hoje tenho milhares de conquistas pra mostrar pro mundo, das quais me orgulho: 

Cortei a sobremesa da minha rotina. Eu percebi que comer qualquer quadradinho de chocolate ou outro doce depois do almoço me deixa com vontade de comer mais doce ao longo de toda a tarde. O que eu faço hoje? Às vezes como frutas depois do almoço, dessas que ajudam na digestão, como abacaxi e tangerina. E, logicamente, se fui comer na casa de alguém e a pessoa oferece a sobremesa, dessas caseiras, eu vou comer. Se for em algum restaurante badalado também. Mas na minha casa não.

Deixo pra comer algo doce no lanche da tarde e, se possível, algo acompanhado de fibras, pois elas ajudam a retardar a absorção de açúcar no sangue e evitar a compulsão. Então, no fim da tarde, eu aproveito pra comer um pedaço de bolo integral, uma bolacha de aveia que eu mesma faço, uma torrada com geleia, ou uma vitamina de banana. Esse hábito, juro, reduziu absurdamente a minha vontade de comer doce na vida. Também tenho na despensa alguns chocolatinhos com, no mínimo, 60% de cacau na composição, pros dias em que estou muito estressada. Sim, o cacau tem propriedades que dão uma sensação de felicidade.

Larguei todos os doces ultraprocessados, desses que vêm pronto em embalagens no supermercado (biscoito, bolo, torta, cereais matinais, toddynho). Além de ter muito açúcar, eles contêm gorduras péssimas e toneladas de conservantes.

Então vamos parar de enrolação e falar logo das receitas. Nesse fim de semana, a família inteira vem aqui pra casa e resolvi fazer uns docinhos pra tomarmos com chá ou café. Não, não podemos chamá-los de saudáveis. O que eles são é naturais, sem conservantes, sem gordura e com fibras. E precisam ser comidos com moderação!

Fiz vários testes (agradeço muito todo mundo que me mandou sugestões) e cheguei a três receitas. De todas, a minha preferida é o docinho de coco, de longe. 

Observações: A aveia é uma ótima opção pros doces porque, além de ter fibras, que evitam o pico de glicemia no sangue, ela dá saciedade, o que vai evitar que você coma o prato inteiro. Os docinhos são mais gostosos depois de ficar um tempo na geladeira, pelo menos umas duas horas. Comê-los quente, de colher, não é a mesma coisa.


Docinhos de chocolate - R$ 3,80
⠂1 xícara de água quente
⠂3/4 de xícara de aveia em flocos
⠂1/2 xícara de melado de cana ou açúcar mascavo (se você não está acostumado com doces menos açucarados, faça com o mascavo)
⠂1 pitada de canela
⠂2 colheres de sopa de cacau em pó sem açúcar. 
(Também dá pra colocar café passado em vez da água quente, mas aí vira um docinho de chocolate com café)

Como eu fiz
Bati no liquidificador todos os ingredientes. Tem que bater bem, o creme tem que ficar lisinho, não pode ficar os pedaços grandes da aveia. Depois é só jogar numa panela e mexer por 2 ou 3 minutos, até formar a consistência firme de um brigadeiro tradicional. Aí coloca na geladeira por 1 hora e já pode fazer as bolinhas. Passei no cacau em pó apenas. 



Docinhos de coco - R$ 4,70
⠂1 xícara de água quente
⠂3/4 de xícara de aveia em flocos
⠂1/2 xícara de açúcar demerara (o mascavo e o melado deixariam a massa muito escura)
⠂1/2 xícara de coco ralado fresco ou comprado a granel sem açúcar. 

Como eu fiz
Bati no liquidificador todos os ingredientes. Tem que bater bem, pra sumir os pedaços da aveia. Mas nessa receita, esse creme não vai ficar lisinho por conta dos pedaços de coco. Depois é só jogar numa panela e mexer por 2 ou 3 minutos, até formar a consistência firme de um beijinho tradicional. Depois é só deixar na geladeira por 1 hora e fazer as bolinhas. Passei no coco ralado. 

Docinho de amendoim - R$ 3,25 
1 xícara de batata doce descascada e cozida
1/2 xícara de açúcar mascavo
1/2 xícara de amendoim torrado sem casca e sem sal (ou dois colheres de sopa de manteiga de amendoim)

Como eu fiz
Cozinhei a batata doce já descascada numa panela com água e amassei o amendoim num pilão, até formar uma farinha. Depois só bati tudo no liquidificador. Levei na panela por uns 5 minutos, até desgrudar. Deixei na geladeira por 2 horas pra criar consistência na massa e enrolei no farelo de amendoim, que fiz no pilão também.

E fica outra dica pra aqueles que estão em tratamento do vício do açúcar, como eu. Esse livro da Sonia Hirsch é sensacional pra entender porque somos todos viciados nesse troço e como é possível lidar com isso sem cortar os pulsos.


2 comentários:

  1. Adoreei as dicas!! =D
    O mousse da Maria é mesmo muito bom.. e o docinho da vó nem se fala! rsrs
    Vou tentar o brigadeiro, mas ainda não tenho o açúcar mascavo. Será que açúcar orgânico funciona pra receita? Sugeres que diminua a quantidade ou us meia xícara mesmo?

    Beijos!!
    Blog tá lindo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qualquer açúcar funciona!! Não pode diminuir muito a quantidade ou não vai dar liga na receita! Beijocas!

      Excluir