Falafel de feijão - R$ 3,60

26 de setembro de 2017
Já dizia o Zeca Baleiro que quem não pode Nova Iorque, vai de Madureira. Eu amo grão de bico, fazia até brownie com ele (que nunca deu muito certo, na verdade), mas aqui em Floripa tá custando R$ 16/kg. Procurei na internet e tá a mesma coisa. O que a gente faz então? Partiu adaptar receita.

O primo pobre do grão de bico, pra mim, é o feijão fradinho, que também é conhecido como feijão de corda. Pobre porque ele custa a metade do preço, é mais humilde. Mas quando o assunto são os nutrientes, o bonitão arrasa. Essa reportagem cita um estudo de uma nutricionista que apontou a capacidade do feijão fradinho de reduzir o colesterol ruim. Ele também é rico em proteína, pra galera da maromba ficar feliz, e manganês. 

Muita gente só conhece a versão dele em saladas, mas pergunta pra galera dos estados do Nordeste a quantidade de coisa que dá pra fazer com ele. Como eu ainda preciso fazer uma imersão gastronômica na Bahia pra me especializar (não vejo a hora), sigo investindo nas minhas versões de bolinhos mais simples mesmo. Também faço um prato dele com leite de côco e tomate, com toneladas de coentro picado (sim, sou do time do coentro), e fica um arraso. 

Quando eu morava no Rio de Janeiro, vivia comendo coisas árabes maravilhosas, como o falafel, mas aqui em Floripa mal se encontra uma esfirra. Então resolvi me arriscar pra tentar matar a saudade, tentando uma versão mais modesta do falafel, com o nosso amigo feijão fradinho.

Ficou muito bom, tá? Pode fazer e me agradecer depois! Rende 15 bolinhos. 

Pode fazer que não tem erro! É uma delícia. Eu comi com arroz, molho de pimenta e salada de berinjela.

Ingredientes do falafel - R$ 3,60 (rende 15 bolinhos)
2 xícaras de feijão fradinho deixado de molho na água por 24 horas (tem que deixar de molho porque não vamos cozinhá-lo, a hidratação na água vai dar uma amolecida).
1/2 cebola picada
2 dentes de alho picados
1 xícara de salsinha fresca (coloquei 1/2 xícara de salsinha e 1/2 de coentro)
1 colher de café de cominho em pó
1 limão (vamos usar raspas e o suco)
2 colheres de sopa azeite de oliva extravirgem
2 colheres de sopa farinha de linhaça dourada
sal a gosto
pimenta a gosto (coloquei do reino e caiena)

Como eu fiz
Liguei o forno. 
Escorri o feijão que tava de molho e lavei bem com uma água nova.
Escorri bem o feijão.
Fiz tudo no processador. Se o seu liquidificador for muuuuuito ruim, talvez não dê pra fazer, pega um melhor emprestado da vizinha. Se ele for mediano, exercite a tua paciência e vai batendo, parando e mexendo. Mas conselho de vida: guarda uns trocados do décimo terceiro e parcela um processador em 12 vezes. É muito útil na cozinha. 
Joguei no processador com todos os ingredientes e bati por 2 minutos, parando às vezes pra dar uma mexida.
Fiz bolinhas pequenas (elas ficam meio grudentas, parece que não vai dar certo, mas vai) com a quantidade de uma colher de sopa cheia dessa massa e coloquei numa forma untada com um pingo de óleo de soja. 
Assei por 25 minutos a 220 graus. 
Como rendeu muito mais do que a minha fome, eu deixei alguns crus na geladeira pra assar amanhã. 

Caso a tua massa tenha ficado muito úmida, talvez porque você não escorreu o feijão direito, pode colocar umas duas colheres de farinha de mandioca. Mas tenta não colocar. Quanto menos farinha, mais suculento. 

3 comentários:

  1. Menina, eu acho que tem um feijão fradinho e um feijão de corda e eles são diferentes, viu? hahaha Pq eu nunca tinha visto um feijão marrom escuro menorzinho até perguntar oq era e nas lojas a granel esse é o feijão de corda.

    ResponderExcluir
  2. Cristal, em algumas regiões do Brasil há essas duas versões sim. Mas na maioria dos estados o pessoal entende como a mesma coisa. O feijão de corda marronzinho é bem difícil de achar. Beijocas!

    ResponderExcluir
  3. Olá, eu não tenho a farinha de linhaça, posso substituir por outra?

    ResponderExcluir