Risoto do Bernardo - R$ 8,30

17 de julho de 2017
Meu primo Bernardo pronto pra comer o risoto que ele mesmo preparou.

Depois de uma infância perfeita comendo tudo de todos os jeitos, meu primo Bernardo, de 11 anos, resolveu que agora só come hambúrguer, bolacha recheada e miojo. Por isso, a família toda achou que eu mataria a criança de fome quando ele veio passar uns dias comigo nas férias. Aqui em casa não entra carne, muito menos essas coisas congeladas horrorosas. 

Tentei uma estratégia que vi na TV: convidar a criança pra cozinhar. Perguntei o que ele mais gostava de comer no reino vegetal. Resposta: "eu amo beterraba". Fiquei empolgadíssima, vi uma luz no fim do túnel! Eu já tinha beterraba com as folhas e tudo em casa, mas ele achou as folhas um pouco assustadoras e não quis usar. As beterrabas viraram um super risoto feito pelo Bernardo. Ele achou super divertido ficar com as mãos rosadas, sujou a roupa e o fogão inteiros, mas comeu tudo e ainda repetiu. Disse que quando voltar pra casa vai ensinar minha avó a fazer essa receita, ou seja, já ficou metido. 

O primeiro passo da receita serve pra todos os risotos: fazer um caldo de legumes bem saboroso. Eu costumo guardar cascas de legumes orgânicos num potinho e congelar. Aí jogo tudo na panela, fervo por uns 5 minutos e o caldo está pronto. Como é feito de restos de coisas que já usei, não entram no cálculo do preço. Pode colocar tudo de resto de casca que tiver na tua casa. Não precisa ser essas coisas que eu usei. Nesse, fizemos com:

Caldo de legumes
- talo de 1 alho poró
- cascas de duas cenouras
- cascas de alho e cebola
- casca de gengibre
- talos de salsinha
- dois cravos
- duas folhas de louro
- algumas folhas de alecrim da horta.
- uma beterraba orgânica média com casca (se não for, descasque) cortada em 4 pedaços.

Ingredientes do risoto - R$ 8,30 (serve 3 pessoas famintas)
- 1 cebola grande
- 2 beterrabas médias
- 1 e 1/2 xícara de arroz cateto integral 
- 1 xícara de vinho* tinto, ou vinho branco ou saquê culinário, que é bem mais barato.
- sal e pimenta do reino a gosto
- azeite pra refogar a cebola e finalizar
- queijo minas (na minha casa não entra queijo, mas já tinha comprado porque o Bernardo pediu e ele também quis incluir na receita)
- cebolinha e tomilho da horta

*O vinho costuma encarecer muito uma receita. O que eu faço então: compro os vinhos secos mais baratos do mundo. E tem que ser o seco, hein? Pago em torno de R$ 15 numa garrafa dessa e uso pra 4 ou 5 receitas. Como tenho muito dó de usar vinho na comida, costumo usar mais o saquê culinário, que vende em qualquer supermercado ou lojas de produtos naturais e custa em torno de R$ 10. Como ele é mais alcoólico, coloco um pouco menos do que uma medida do vinho. O saquê é ótimo pra risotos e pra dar um gostinho em molhos que acompanham as massas. Cozinheiros profissionais, não me julguem!!! A casa, as panelas e o paladar são meus! Faço como quiser! Já sei que nunca sobreviveria a uma prova do Masterchef!

Como nós fizemos
Refogamos a cebola com um tico de azeite, depois jogamos o arroz, as duas beterrabas cortadas em cubos e o vinho tinto. Assim que o vinho evaporou, fomos colocando em torno de 4 conchas do caldo de legumes e mexendo sem parar, por várias vezes, até ir secando o caldo e cozinhando o arroz. Depois de pronto, uns 40 minutos, com aquela consistência cremosa, desliguei o fogo. Colocamos um pouco de azeite, jogamos o queijo cortado em cubos e o cheiro verde. Na hora de servir, tirei a beterraba que estava no caldo, cortei em cubinhos e joguei em cima de cada prato pra finalizar, porque sou chique. Como eu uso o arroz integral catete, porque o arbóreo é muito caro e sem fibras, o tempo de preparo do risoto é bem maior do que o normal, já que o arroz integral demora bem mais pra cozinhar.

Sim, a foto não está das melhores. Bernardo quase derrubou o risoto no chão e sujou o prato antes da foto porque já tinha começado a comer. 

Como eu calculo o preço da receita
- Eu anoto o valor que paguei nos ingredientes, coloco cada um numa balança e faço regra de três: peso x preço.
- Os temperos não entram, como sal e pimenta do reino, porque uso muito pouco em cada prato.
- Só coloco óleo e azeite no cálculo se uso 1/2 xícara ou mais. Menos que isso é muito pouco e cada um usa a seu gosto.
- As ervas frescas, como a cebolinha e o tomilho, eu tiro da mini horta da minha varanda.
- Nessa receita, por exemplo, eu só calculei a cebola, o vinho, o arroz e as beterrabas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário